segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Readaptando-se

Acontece algo engraçado, diferente ou uma bobagenzinha qualquer no teu dia, você logo pensa em contar pra ele, mas em seguida lembra que não pode mais, que pra ele já não importa mais. Você caminha no meio da multidão sem ninguém pra dar a mão, depois de tanto tempo se sentindo protegida segurando a mão dele, é como se tudo se tornasse tão vazio, sem cor, sem a presença dele. De repente você se vê sozinha de novo, depois de tanto tempo sendo dois. Todos sabem que nada é pra sempre, mas não queremos que acabe. Somos jovens demais pra pensar em casamento, temos muito ainda pra viver, mas sempre queremos que o tempo juntos se estique o máximo que puder. O recomeço é difícil, se adaptar parece impossível. Mas é necessário.

Carolina Muniz Brolese